jusbrasil.com.br
3 de Julho de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça de Pernambuco TJ-PE - Apelação: APL 003XXXX-08.2003.8.17.0001 PE 003XXXX-08.2003.8.17.0001

há 11 anos

Detalhes da Jurisprudência

Processo

APL 0036397-08.2003.8.17.0001 PE 0036397-08.2003.8.17.0001

Órgão Julgador

2ª Câmara Cível

Publicação

56

Julgamento

16 de Março de 2011

Relator

Cândido José da Fonte Saraiva de Moraes

Documentos anexos

Inteiro TeorAPL_363970820038170001_PE_1307476760530.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

RECURSO DE APELAÇÃO. DIREITO DO CONSUMIDOR. PLANO DE SAÚDE. TRATAMENTO QUIMIOTERÁPICO. NECESSIDADE DE REALIZAÇÃO DE SESSÕES EM QUANTITATIVO SUPERIOR AO PREVISTO NO CONTRATO. ANULAÇÃO DE CLÁUSULA ABUSIVA E CONTRÁRIA AO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR. APLICAÇÃO DO PRINCÍPIO DA BOA-FÉ PARA PROTEGER O SEGURADO HIPOSSUFICIENTE. DANO MORAL CONFIGURADO. NECESSIDADE DE MAJORAÇÃO. ADEQUAÇÃO DOS HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS AO § 3º DO ART. 20 DO CPC.

A cláusula limitativa da cobertura para realização de sessões de quimioterapia desrespeita o princípio da boa-fé objetiva e não se harmoniza com as prescrições da legislação consumerista, pois o CDC proíbe as cláusulas que coloquem o consumidor em desvantagem excessiva. Abusividade da operadora do plano de saúde ao restringir um direito fundamental inerente à natureza do contrato, como previsto no inc. III, do § 1º, do art. 51 do Diploma Consumerista. Caracterizado o dano moral quando comprovado o constrangimento sofrido pela segurada, pois o tratamento já havia sido iniciado, sendo incomensurável a aflição da Autora ao vê-lo subitamente interrompido. Necessidade de majoração para constituir uma pena ao causador do dano e, concomitantemente, compensação ao lesado, além de cumprir seu cunho pedagógico sem caracterizar enriquecimento ilícito. Não se tratando de hipótese prevista no § 4º do art. 20 do CPC, e sim no seu § 3º, os honorários advocatícios devem ser fixados com observância dos parâmetros das suas alíneas a, b e c, sendo no caso de 20% (vinte por cento) sobre o valor da condenação.

Acórdão

Por unanimidade de votos foi rejeitada a preliminar, nos termos do voto da Turma. Mérito: Por unanimidade de votos negou-se provimento ao apelo da UNIMED e foi dado provimento ao apelo da Autora Noélia Lima Brito, nos termos do voto do Relator.
Disponível em: https://tj-pe.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/19383537/apelacao-apl-363970820038170001-pe-0036397-0820038170001