jusbrasil.com.br
28 de Maio de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça de Pernambuco TJ-PE - Apelação: APL 0093903-39.2003.8.17.0001 PE 0093903-39.2003.8.17.0001

há 11 anos
Detalhes da Jurisprudência
Órgão Julgador
2ª Câmara Cível
Publicação
170/2011
Julgamento
1 de Setembro de 2011
Relator
Cândido José da Fonte Saraiva de Moraes
Documentos anexos
Inteiro TeorAPL_939033920038170001_PE_1316266704957.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

APELAÇÃO. DIREITO CIVIL. VIZINHANÇA. JANELAS QUE JÁ EXISTIAM QUANDO A APELANTE ADQUIRIU O IMÓVEL PASSÍVEL DE SER DEVASSADO A PARTIR DAQUELAS. DECURSO DE CERCA DE DEZ ANOS DESDE A COMPRA ATÉ A MANIFESTAÇÃO DE DESCONTENTAMENTO. ESCOAMENTO DO PRAZO PREVISTO NO ART. 1302 DO CÓDIGO CIVIL. CIRCUNSTÂNCIA QUE IMPEDE TANTO O DIREITO DE REQUERER A DEMOLIÇÃO, QUANTO O DE CONSTRUIR SEM OBSERVAR O LIMITE CONSTANTE DO ART. 1301 DO MESMO CÓDIGO. IMPOSSIBILIDADE DE EQUIPARAÇÃO DE JANELAS A VÃOS E ABERTURAS PARA LUZ. INAPLICABILIDADE DO PARÁGRAFO ÚNICO DO MENCIONADO ART. 1302. RECURSO DESPROVIDO.

- Decorrido mais de ano e dia desde o momento em que o proprietário poderia ter se manifestado contra as janelas existentes na casa do vizinho e não o fez, surgem para ele duas consequências: primeiramente, não mais poderá exigir que as janelas sejam desfeitas; em segundo lugar, também não mais poderá edificar sem observar o limite de metro e meio previsto no art. 1301 do CC.
- Não há que se confundir janelas com vãos e aberturas para luz, assim consideradas aquelas não maiores de dez centímetros de largura sobre vinte de comprimento, conforme definição do § 2º do art. 1301 do CC. Somente a estes últimos se aplica a permissão do parágrafo único do art. 1032, autorizando que o vizinho, a qualquer tempo, faça seu contramuro sem observar a distância de metro e meio, ainda que os vede.
- Apelo improvido, com manutenção integral da sentença.

Acórdão

À unanimidade de votos, negou-se provimento ao apelo, nos termos do voto da Turma.
Disponível em: https://tj-pe.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/20430357/apelacao-apl-939033920038170001-pe-0093903-3920038170001

Informações relacionadas

Luiz Castro Freaza Filho, Advogado
Modeloshá 4 anos

[Modelos de petição] Obrigação de Fazer - Direito de Vizinhança

Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro
Jurisprudênciahá 6 anos

Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro TJ-RJ - APELAÇÃO: APL 0019325-83.2010.8.19.0202 RIO DE JANEIRO MADUREIRA REGIONAL 3 VARA CIVEL

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO DE INSTRUMENTO: AgRg no Ag 686902 MG 2005/0100058-5

Jurisprudênciahá 4 anos

Tribunal de Justiça de Pernambuco TJ-PE - Apelação: APL 0000444-58.2010.8.17.0220 PE

Tribunal de Justiça de Minas Gerais
Jurisprudênciahá 6 anos

Tribunal de Justiça de Minas Gerais TJ-MG - Apelação Cível: AC 0116005-46.2012.8.13.0035 MG